4.8.06

A nova febre do Livecoding


Imagine um DJ que improvisa sua performance ao vivo, proporcionando um show diferente a cada apresentação? Adicione um pouco de irreverência, letras que lembram os manifestos da década de 60, timbres sintetizados na hora, enfim, uma catarse geral. Os clubes e as raves, que agitam a Europa neste fim de verão, já aderiram a febre da música eletrônica ao vivo. Batizadas de "Livecoding", as produções utilizam programas de computador para gerar melodias aleatórias, timbres novos -- tudo mesclado com letras irreverentes, excêntricas e muita rebeldia. O artista Robert Henke (foto) é um dos grandes expoentes da mania musical.
A TOPLAP [www.toplap.org], uma organização que se define como temporária, conta toda a história do Livecoding.

Um comentário:

BERTRAND disse...

Bem legal... ainda nao tinha ouvido falar sobre essa historia. Posso republicar a noticia no meu blog?
http://www.xtra.blog-se.com.br